quarta-feira

MORTOS SE COMUNICAM ATRAVÉS DE SONHOS

mortos sonhos comunicar ritual dormindo

Tradicionalmente,a forma mais comum em que se comunicam os mortos com a gente é através de sonhos;Neste contexto,visto como uma espécie de limbo,limite que permite o acesso a outros planos de existência.

Os mitos hebraicos,especialmente registrados no Talmud,se relacionam com sonhos com a morte;e mas ainda,eles concebem o sonho como uma espécie de preparação para a morte.
Sefer Hasidim,um dos livros proibidos que mais e melhor se espalhou por mitos bíblicos,usa sonhos com pessoas mortas, para responder a uma série de perguntas.

Ninguém pode argumentar que os mortos,pelo menos na terra bíblica,são tímidos em suas aparições. Não só se apresentam em sonhos,mas alegando várias questões,então,logo passam a integrar ritos funerários mais conhecidos do mundo,resultando em um motivo central no folclore de todas as latitudes:o Grateful Dead (o morto agradecido).

Assim,a capacidade dos mortos para se comunicar com os vivos através de sonhos foi aceita por quase todas as culturas antigas.
Relações humanas,especialmente as famílias não sofrem um corte súbito após a morte;pelo contrário,eles têm uma continuidade que se perpetua em sonhos.

Esta ideia expressa talvez as primeiras noções de humanidade sobre a morte,antes do conceito de Deus;e onde os espíritos de nossos ancestrais poderiam se comunicar e até mesmo intervir nos assuntos mundanos.A maioria das tradições espirituais de todo o mundo aceitam que o contato com as pessoas mortas nos sonhos pode ser um ponto positivo e até mesmo benéfica para ambas as partes.

Vendo uma pessoa morta em um sonho,falar com ela,e aceito como um dos sonhos mais poderosos e significativos que podemos experimentar. Qualquer um que tenha vivido pode dar conta disso sem maiores polêmicas.

Nos mitos gregos,no entanto,este tipo de comunicação foi visto de outra forma. Os sonhos não acontecem,são apenas recebidos como um presente dos deuses. A maioria dos mortos aparecendo nos sonhos são vistos como sombras,ecos,duplas que habitam o submundo,ou Hades,e se manifestam apenas para deixar testemunho de seu descontentamento.A maioria dos mortos aparecem em sonhos para solicitar ajudar,fornecer avisos,profecias,ou emitir algum conselho.

Também não devemos pensar que culturas antigas assumiam essas questões normalmente. Os gregos,romanos e judeus debatiam calorosamente sobre a autenticidade dos sonhos com pessoas mortas;em seguida,definiram algumas orientações que nos permitem determinar se temos experimentado um sonho real com alguém morto ou não.

O verdadeiro ceticismo sobre sonhos com pessoas mortas se espalhou com a chegada do Cristianismo.

San Agustin distribui uma série de distinções que permitem fazer a distinção entre os sonhos comuns,ou seja,aqueles que são produtos de nossas fantasias e sonhos que efetivamente recebiam algum tipo de comunicação com o além.

Aliás,St. Augustine revive a lenda de St. Ambrose,que foi visitado em um sonho por dois outros santos Gervasio e Protasio;mas ele diz que este dom é um dom de Deus aos homens de fé extraordinária,e que as pessoas comuns não podem voltar para visitar seus entes queridos através de sonhos.Para Santo Agostinho,sonhos com pessoas mortas são meras ilusões.

Já na Idade Média,os teólogos cristãos estabeleceram a ideia de que os sonhos eram duvidosos,território incerto,provavelmente,governado pelo mal. Os sonhos com premonição,ou aqueles em que as pessoas mortas foram apresentadas,foram admitidos como prova da manifestação de Lúcifer.
Mais tarde,sonhos com pessoas mortas foram abordados a partir da perspectiva do purgatório;ou seja,como prova de que existe uma região intermediária entre o céu e o inferno,a partir do qual as almas podem se comunicar com os vivos através de sonhos.
Há muito tempo Os sonhos perderam importância até que a psicologia o reviveu no século XIX. Desde então considera-se que todos os sonhos são fatos simbólicos,ou seja,do inconsciente.

Neste período,foi feito um catálogo detalhado dos sonhos,ou seja,de tipos de sonhos para estados muito precisos da vida foi feita;mesmo aqueles perto da morte,como proposto por William Barrett,que cunhou o termo:Deathbed Dreams(sonho da Agonia) para referir-se aos sonhos e alucinações que se manifestam em pessoas muito doentes ou à beira da morte.
Parapsicologia também fez sua contribuição para ao conceber a ideia deAfter-Death Communication(pós-morte Comunicação) ou ADC. Na verdade,quando uma pessoa perde um ente querido está mais propenso a experimentar algum tipo de comunicação Pos-Morte através de sonhos.

Depois de tudo,os sonhos talvez sejam uma espécie de ponte entre os planos de existência,um limiar que vai perdendo sua força ao longo do tempo,mas nos primeiros anos após a morte de alguém que queria profundamente,esse pode transitar em ambas as direções com relativa facilidade.