sábado

TIPOS DE VAMPIROS URYKOLAKAS

Tags


O vrykolakas tem suas raízes na Macedónia, Grécia e nos Balcãs. Eles são ativos apenas durante a noite.

Esse vampiro ghoul se alimenta de sangue e carne do insepulto, mas quase sempre se contentar com muito menos. Na região do Mar Egeu é dito que o vrykolakas pessoas através de bater em portas e janelas batendo. Se você chamar os moradores pelo nome, que atende a sua chamada pode ser morto. Seu poder (que não é muito perceptível) cresce a cada ano que passa, o crescimento é proporcional à redução de sua inteligência.

Alguém se torna um vrykolakas por três condições: a cometer um ato sacrílego, sendo excomungado pela igreja, ou que tenham a infelicidade de ser enterrado em solo profano. A quarta opção, devidamente relatados por vários folcloristas, e é para comer uma ovelha e ser mordido por um lobo.

O corpo do vrykolakas consistente com a ideia de um vampiro nos Bálcãs. Seu corpo não foi decomposto. Eles são muito robusto, e rejuvenescer suas características com cada refeição de sangue, raramente humano.

Lendas dizem que os eslavos vrykolakas é um vampiro que teme os humanos. Raramente é visto, exceto em casos de extrema necessidade por sangue. Diz-se que antes de atravessar uma aldeia na vrykolakas emite um uivo muito tempo para avisar da sua presença e, assim, permitir que as pessoas escondem em suas casas. Em geral se contenta em jogar pedras, bater nas portas e matar pequenos animais e aves.

A operação para matar um vrykolakas realmente irritante. Só retorna ao seu túmulo, no sábado momento, para arrastá-lo para fora de seu covil, apostou, decapitados e cremados.

No século XVII-narrativa vrykolakas-se mudou para a Europa Ocidental. Allatius Leo slogan suas aventuras de além-túmulo em De quorundam Graecorum Opinationibus e Padre François Richard recolhe suas lendas na Relação de l'Isle de Sant-Erínias. Mas o maior contribuinte para o mito da cultura ocidental vrykolakas o viajante francês Joseph Pitton de Tournefort, que testemunhou, por isso diz-a exumação de um vrykolakas na ilha grega de Mykonos. Por meados do século XIX, o vice-cônsul Charles Newton disse em seu Viagens e Descobertas no Levante em uma descoberta perturbadora arqueológico em Lesbos. Lá ele encontrou um cemitério estranho, cujas sepulturas foram encontrados crânios apenas. Os moradores alegaram que havia enterrado as cabeças decapitadas do vrykolakas infeliz.

Finalmente, dar um detalhe da cor que eu não tenha confirmado. Um velho amigo que viajou para a Grécia diz-me que lá, em um filme americano sobre vampiros, a palavra vampiro é traduzido por vrykolakas, resultando em uma série de títulos que deixaria profunda o lustre filme de vampiro, como A Noite do vrykolakas Entrevista com o vrykolakas, por exemplo.