sexta-feira

POESIA GOTICA SOLIDÃO

Tags

gotica,vestido,preto


Quem te bateu? Eu que era bonita
além de qualquer sonho imaginado,
Eu venho de raízes da mais bela arvóre
Para bater a sua porta.

Quem fala? Eu ... a minha voz em um momento
doce como um pássaro em vôo
quando o eco acaricia as águas;
Então, eu estava falando com você.

Noite escura é a agora! Oh, e fria.
solitaria é a minha casa. Oh, e minha e?
Obeserve, toque, lábios, olhos piscando em vão.
Como morto há muito tempo para mim.

Silêncio. A calma batida na porta
pára a luz das estrelas.
A mão tateia no escuro
em chaves, parafusos e bares.

Um rosto olha com frieza. A noite cinzenta
no caos da ausência brilhou;
havia uma enorme dor,
dentro do doce sono da ausência.