quarta-feira

POEMA GOTICO LEMBRE-SE DE MIN

Tags

olho,bizarro,sangue

Minha alma chora em silêncio solitário
exceto quando o meu coração
ligado ao seu em aliança celestial
de amor mútuo e suspiro mútuo.

É a chama da minha alma que aurora
brilhando nos cemitérios:
quase extinto, invisível, mas eterno...
nem a morte pode manchar.

Lembre-se de mim!... Perto de minha sepultura
não passa, não, não me dê sua oração;
para a minha alma não ter mais tortura
você esqueceu a minha dor.

Ouvi a minha última palavra.
Não é um
crime

orar por aqueles que eram.
Eu nunca

pedi nada: peso apenas que
derramae sobre a minha sepultura tuas lágrimas.