sábado

SUBCULTURA DOS VAMPIROS -CRISTÃO,GÓTICOS E VAMPIROS

Tags

 

Os cristãos devem primeiramente ter um reposta emocional e compassiva.
Visto que muitos que estão na cultura gótica e no submundo vampiro estão procurando comunidade e ligação emocional devido ao passado de abuso ou alienação, nossa primeira resposta deve ser cuidado e interesse.

Nós devemos manter em mente as palavras de um pesquisador que disse que o traço encontrado naqueles atraídos pelo vampirismo são: insignificância, mal-estar, confusão, sentimento de abandono, solidão, déficit de atenção, falta de amor-próprio saudável, desejo por controle ou poder sobre diferentes circunstâncias de impotência, desanimado, e a necessidade de “ser alguém”.

Isso deveria nos compelir a refletir nas palavras de Cristo em Mateus 9.9-13, especificamente o verso 13: “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício.
Porque eu não vim chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.”


Por outro lado, nós não deveríamos aceitar que tudo nas subculturas góticas e vampiras estão de algum modo perdido.
Um grande número é brilhante, criativo e intelectualmente curioso.
Alguns são igualmente defeituosos e também espertos, criativos e curiosos.
Tentar dialogar com essas pessoas é uma maneira de entender de onde eles vieram.
Eles buscam o autêntico, não o plástico; intimidade, não o grandioso.
Eles são sensíveis aos comportamentos sociais artificais e superficiais.

Para rejeitar tais pessoas, para repudiá-los, ou escarnecer da forma como se vestem ou olham, porque se parece um estilo de vida bizarro, é para esquecer de que que eles foram também criados à imagem e semelhança de Deus, como nós fomos. Antes de você dialogar com um gótico ou com alguém em um estilo de vida vampiro, esteja certo de que está interessado por eles como pessoa e os respeita como tal.


Os seriamente envolvidos no vampirismo podem procurar se conservar com algum tipo de imortalidade, seja com a reencarnação ou beber sangue.
Muitos vampiros romantizam o sangue e o seu suposto poder, mas somente o poderoso sangue de Cristo é que pode nos redimir da nossa natureza falha: Lucas 22.20; Romanos 3.25, 5.9; Efésios 1.7, 2.3; Colossenses 1.20; Hebreus 9.12-14; 22, 26-28, 10.19, 12.24; 1 Pedro 1.18-19; 1 João 1.7; Apocalipse 5.9.


E acreditando na eficácia redentora do sangue de Cristo, graciosamente, vertido na cruz do calvário por nossos pecados nos dá a vida eterna que os vampiros procuram na imortalidade mítica.