segunda-feira

TERMO GÓTICO HISTÓRIA E ORIGEM

Tags


Ao longo da história, o termo Gótico foi usado como adjetivo ou classificação de diversas manifestações artísticas, estéticas e comportamentais. Dessa maneira, podemos ter uma noção da diversidade de significados que esta palavra traz em si.

Historicamente, há correntes que afirmam que Gótico deriva-se de Godos, povo germânico considerado bárbaro que diluiu-se aproximadamente no ano 700 d.C.

Originários das regiões meridionais da Escandinávia, os Godos eram um povo germânico que se distinguia pela fidelidade ao seu rei e comandantes, também por usar espadas pequenas e escudos redondos.
Apesar dos godos terem sido extintos no começo do século VIII, seus feitos e conquistas deixaram marcas permanentes nos povos italianos. Principalmente a Queda do Império, com tantas construções greco-romanas destruídas, trouxe um trauma que foi passado de geração em geração.

Desse modo, na época do Renascimento, no século XVI, o termo godo era sinônimo de "inculto destruidor da arte clássica". E esse conceito pejorativo, passa a ser usado para classificar a arte cristã produzida entre o século XII e XVI, período em que a Igreja absorvia a estética pré-cristã da região onde se instalava, chegando até mesmo a absorver certas características pagãs.
Assim, analogicamente, esse estilo arquitetônico predominante nesses séculos, cheio de ogivas, vitrais e gárgulas, passaram a ser considerado pelos italianos, o "povo bárbaro" que "invade" o "povo clássico-cristão", tornando impura a arquitetura cristã da época.
O termo "gótico" acabou formando uma coesão do obscurantismo medieval, fincando deste modo, raízes permanentes na Europa.

Como metáfora, o termo foi usado pela primeira vez no início da Renascença, para designar pejorativamente a tendência arquitetônica, criada pela Igreja Católica, da baixa Idade Média e, por conseqüência, toda produção artística deste período. Assim, a arquitetura foi classificada como gótica, referindo-se ao seu estilo "bárbaro", comparados às tendências românicas da época.
A era medieval, possui uma rica cultura, e foi uma imensa fonte de inspiração do período romântico e ainda hoje é referência de diversas manifestações artísticas.

O autor Fulcanelli, em sua obra O Mistério das Catedrais, nos apresenta uma outra hipótese: o termo gótico seria derivado da palavra Argoth (Art Goth), uma linguagem usada apenas por Iniciados nas tradições ocultistas.
Confira o trecho do livro de Fulcanelli, que disserta sobre essa possibilidade:


O Mistério das Catedrais – Cap. III
"Alguns pretenderam erradamente que provinha dos Godos, antiga povo da Germania; outros julgaram que se chamava assim a esta forma de arte, cujas originalidades e extrema singularidade provocam escândalo nos séculos XVII e XVIII, por zombaria, atribuindo-lhe o sentido de bárbaro: tal é a opinião da Escola Clássica, imbuída dos princípios decadentes do Renascimento."
Historicamente essa versão de Fucanelli, é considerada incoerente, sendo vista apenas como uma visão interessante de um grande alquimista.

Em suma, o termo Gótico foi usado através dos séculos sob vários significados, às vezes sem ligação alguma. Em algum momento histórico ele foi designado originalmente, aos Godos, por serem um povo bárbaro que veio a invadir o império romano, mas não devemos nos apegar a isso, pois com o passar do tempo, o termo ganhou estilos e significados diferentes.
Tudo bem que se você tentar procurar conhecer melhor a história dos Godos poderá perceber a presença forte dos elementos : drama, romantismo,melancolia e o sentimento de mistério que caracterizava esse povo, mas isso não significa que o termo gótico tenha tido sua origem real a partir dai.
Ao longo da história, o termo "gótico" foi utilizado como adjetivo e classificação de várias expressões artísticas, estéticas e comportamentais. Mas, em sua maioria, estas classificações não possuem nenhuma relação com o significado primitivo da palavra.

Sim, por muito tempo, acreditavam-se que o termo "gótico" sempre esteve ligado através da história e, portanto, os góticos de hoje seriam legítimos descendentes dos visigodos, godos e ostrogodos, mas a verdade é que eles não são continuações do gótico medieval. É evidente que há algumas influências estéticas, mas não há muita coisa que ligue o gótico medieval ao gótico atual.
Existem várias correntes de pensamentos diferentes dentro do mundo gótico.
A própria palavra "gótico" ganhou uma proporção de adjetivo.
A questão é: não há como sintetizar em palavras um universo tão complexo como este.

Mas continuando com os termos históricos, o uso do termo 'gótico' atual,desvinculado de seu significado original, surgiu no início da década de 80.
Oficialmente, o nome gótico foi batizado assim durante uma apresentação do Joy Division, por Tony Wilson, que relatou que o som da banda "era algo dançante e 'gótico'(...)"
De lá pra cá, diversas bandas relacionadas à subcultura que começavam a surgir, ao serem entrevistadas pela mídia de, como seria classificada a atmosfera de suas músicas, por vezes respondiam ser de temática "sombria e soturna, gótica". Com isso o termo gótico começou a ganhar ares de estilo.

Atualmente, o gótico permanece em atividade e em constante renovação cultural, que não se baseia apenas na música e no comportamento, mas em inúmeras outras expressões artísticas.
E, tirando algumas influências estéticas (estéticas não no sentido visual, mas na arte em si) há muito pouco que liga o gótico medieval e o gótico atual.