terça-feira

POEMAS GOTICOS O NOIVADO NO NO SEPULCRO

crepusculo
Vai alta a lua ! Na mansão da morte
Já meia - noite com vagar soou
Que paz tranquila , dos vaivéns da sorte

Só tem descanso quem ali baixou
Que paz tranquila ! Mas eis longe , ao longe
Funérea campa com fragor rangeu
Branco fanatasma semelhante a um monge
Dentre os sepulcros a cabeça ergue
Porém mais tarde , quando foi volvido
Das sepulturas ao gelado pó ,
Dois esqueletos , um ao outro unidos ,
Foram achados num sepulcro só .


Antônio Augusto Soares de Passos